Generalidades

Localização Geográfica


O arquipélago fueguino se encontra separado do continente pelo Estreito de Magalhães, sua superfície alcança 75.000 km2 somando ilhas e ilhotas. A ilha principal é conhecida como Ilha Grande e ocupa uns 45.000 km2. Seus limites estão estabelecidos ao oeste pelo meridiano de 68º 36΄ longitude oeste, o Mar Argentino ao leste, enquanto a boca oriental do Estreito de Magalhães demarca o limite norte e o canal Beagle, o sul.

A cidade de Ushuaia é a capital da província, considerada a mais austral do mundo e se encontra sobre a costa norte do canal Beagle e ao pé do cordão Martial, em plena Cordilheira dos Andes. Apresenta um relevo irregular: vales glaciários, turberas milenárias (carvão fóssil, leve e esponjoso), serras e depressões. Enquanto o seu par Rio Grande, localizada ao norte, tem as características de uma típica cidade patagônica: superfície plana com suaves ondulações e com únicos limites naturais o mar e o vale inundável do rio.

 

Glaciações


Os glaciares se originam devido à baixas temperaturas e à conseqüente acumulação de neve na superfície terrestre. Os geólogos denominam glaciações aos períodos de baixas temperaturas e interglaciales aos de altas.

Na maioria dos casos, as glaciações atuam sobre a paisagem modificando suas características e apagando os rastros da glaciação anterior. Cada vez que se faz referência a este fenômeno, se fala dos que tiveram lugar na nossa era, ou seja, no período quaternário.

As últimas investigações científicas manifestam que quase a totalidade da Ilha Grande da Terra do Fogo esteve coberta de gelo durante o pleistoceno (100.000 a 20.000 anos da atualidade).

Não só a zona sul esteve exposta aos efeitos do gelo, mas também o leito que ocupa o hoje chamado Estreito de Magalhães esteve ocupado por um grande glaciar. Também, o canal Beagle foi ocupado por um rio de gelo cuja altura alcançou talvez 1.200 metros sobre o atual nível do mar, com uma extensão de 200 km. O efeito erosivo avançou até convertê-lo num canal interoceânico.

 

Minerais


Na nossa província foram explorados distintos minerais, alguns até o seu esgotamento, como no caso do ouro. A riqueza mineral da região inclui: pirita de ferro, petróleo, gás, argilas e turbas (carvão fóssil, vegetal, leve e esponjoso) entre outros.

A turba é material vegetal em descomposição, sobre o qual se realizaram investigações a fim de determinar suas potenciais aplicações. Até agora, ela é aproveitada especialmente como melhorador de terreno (adubo).

Pode ser encontrada em lugares com as seguintes características:

• Excesso de água, que deve renovar-se de maneira constante
• Solo e subsolo permeáveis
• Temperaturas baixas
• Climas chuvosos
• Falta de ar na parte mais profunda do terreno

A presença dos turbais é, precisamente, uma curiosidade fueguina. Estas formações se acham nos grandes vales do sul, oa mais importantes são: Carvajal, Tierra Mayor e Moat.

Nos turbais os vegetais predominantes são os musgos Sphagnum e Carex. Uma de suas propriedades principais é a de absorver grandes quantidades de água.

 

Solos


A formação dos solos é um constante processo do qual participam agentes bióticos e abióticos: tanto os minerais que formam a rocha mãe, como o relevo, as condições climáticas, o tempo transcorrido e a vegetação predominante, participam deste fenômeno.

Na Ilha Grande podem-se diferenciar seis tipos de solos, que se denominam edáficos e ocupam e ocupam áreas bem diferenciadas. Os mesmos podem ser identificados através de uma análise do relevo e de suas geoformas.

Na Terra do Fogo encontramos:
1) Picos cordilheiranos
2) Serras e vales glaciários
3) Vales glacifluviais
4) Planícies onduladas
5) Planícies onduladas de declive íngreme
6) Planícies de acumulação marinha

Outra característica é a presença de solos permanentemente congelados, também conhecidos como permafrost. Fatores como a altitude, variação da temperatura e exposição ao vento, entre outros, determinam a profundidade à que se encontra esta capa fria do solo.

Na nossa província o permafrost se encontra a partir dos 700 msnmm e pode-se identificá-lo facilmente já que se encontra marcado pela linha de limite do bosque.

 

Hidrografia


A maioria dos nossos rios nascem na cordilheira argentina e/ou chilena e deságuam no Oceano Atlântico, no Canal Beagle ou no Estreito de Magalhães.

Na nossa província, de acordo com o relevo, podemos dividir os rios em andinos e extra-andinos.

Os cursos de água andinos, se encontram localizados na zona sul da Terra do Fogo, entre eles podemos citar os rios: Claro, Valdez, Milna, Pipo, Larsifashaj, Lapataia e Olivia entre outros. Os lagos Yehuin, Fagnano, Escondido, Roca e Chepelmut pertencem a essa categoria.

As principais características dos rios de montanha são:

• Suas nascentes se encontram em altos cumes onde se derretem o gelo e a neve.
• Os cursos são curtos e com declives fortes de quedas e cascatas.
• Os caudais variam, as cheias se devem ao degelo e às fortes chuvas.

Quanto aos rios extra-andinos, encontram-se na zona centro e norte da ilha, são rios pequenos e de pouca corrente devido às escassas precipitações. São do tipo estacional já que transportam maior quantidade de água entre os meses de setembro e dezembro.

O rio Grande é o mais importante do arquipélago, não só pelo seu caudal, mas também pela sua longitude que chega aos 220 km. Nasce no território chileno e recolhe afluentes no seu caminho ao Oceano Atlântico.

 

Clima


O setor oriental do arquipélago fueguino pode ser dividido em dois grandes ambientes bem definidos pelo seu clima. A região localizada ao sul do lago Fagnano se caracteriza pelo frio-oceânico, enquanto que na região norte encontramos um tipo de clima frio-subúmido.

Nossa ilha se encontra sob a influência da massa oceânica, e devido ao efeito moderador do mar as temperaturas mínimas não são tão baixas, e as máximas são menores que em outros lugares de mesma latitude no hemisfério norte.

Outro fator influente é a proximidade do continente antártico, isto gera a emissão de ventos frios que provocam frentes polares que afetam a nossa província.

O clima fueguino se caracteriza também pela presença do vento entre os meses de setembro e março. Na Terra do Fogo, o vento predominante provém do quadrante oeste, mas no caso de Ushuaia, e devido à presença do cordão montanhoso, o vento provém do quadrante sudoeste.

A cordilheira funciona como uma barreira para as frentes de ar frio que chegam do Pacífico. Ao chegar os ventos carregados de umidade, chocam com as montanhas, descarregando grande parte do vapor que precipita em forma de neve ou chuva sobre os vales e encostas, e prossegue o vento para o leste com uma carga menor de umidade.